Musical “ O Corcunda de Notre Dame”, neste domingo no Teatro Tobias Barreto

Musical “ O Corcunda de Notre Dame”, neste domingo no Teatro Tobias Barreto

Neste domingo, 16, a partir das 16h00, acontece mais uma apresentação do musical “ O Corcunda de Notre Dame”, no Teatro Tobias Barreto. O espetáculo é a primeira produção da recém lançada Companhia das Artes Tetê Nahas. Os ingressos estão disponíveis na Bilheteria do Teatro.

Na última terça feira, centenas de pessoas acompanharam a estreia do espetáculo também no Teatro Tobias Barreto. Foi o caso da pedagoga Aglacy Mary “Familiarizada com Tetê dirigindo espetáculos nos últimos anos, não imaginei que vê-la no palco, atuando mais uma vez, provocasse em mim tanta alegria nova. Foi um presente”, comentou a pedagoga  . A funcionária públiuca Rossevanya Andrade também elogiou “Que coisa rica, rica de amor, de talentos, de muita energia! gostei demais do q vi q ouvi. Eu confesso q fiquei tensa qndo vi o cavalo subindo no palco mas depois relaxei porq ele estava bem dominado rsrsrs AMEI”, exclamou. Já a pedagoga Lilian Gomes Rocha foi enfática “ FANTÁSTICO!!!!! Apenas uma palavra para definir o que foi o espetáculo “o corcunda de notre dame”, imaginado, concebido e realizado pela grande Tete Nahas, a quem rendo todas as minhas homenagens!!! Uma perfeição de montagem, luz, cor, coreografias, figurinos, cenário e interpretação! Parabéns!!”, disse

Em Paris, durante a Idade Média, vive Quasímodo, um corcunda que mora enclausurado, desde a infância, nos porões da catedral de Notre Dame. Um dia, Quasímodo decide sair da escuridão em que vive e conhece Esmeralda, uma bela cigana por quem se apaixona. Mas para conseguir concretizar seu amor ele terá que enfrentar o poderoso Claude Frollo, e seu fiel ajudante, Febo.

A diretora

A atriz e bailarina Tetê Nahas, começou suas atividades aos cinco anos, no espetáculo ‘As aventuras de Jujuba e Teteca’, de autoria do falecido diretor Bosco Scaffs. Depois, seguiu no grupo teatral Check-up, onde era a mascote. Na adolescência, investiu no atletismo, na dança clássica, contemporânea e afro, participando de diversos corpos de bailes. Participou ainda dos grupos Imagem e Asas de Teatro.

A música também surgiu na adolescência. Ela participou da Banda Zê Iedo, que trabalhava músicas do Folclore Sergipano, e foi Backing Vocal do cantor Tom Robson por alguns anos. Em 1991, entrou no grupo Imbuaça onde atuou até 2008. Em 1986, começou a dar aulas de Teatro na Escola Municipal de Artes, hoje oficina de teatro Valdice Teles. Em 1992, participou da minissérie Tereza Batista, da Rede Globo, e em 2008 do filme ‘Orquestra dos Meninos’.

Seu primeiro trabalho como diretora foi o Espetáculo ‘Conto ou Não Conto’, em Janeiro de 2001, baseado no Livro ‘Contos de Vida e de Morte’, de Carlos Cauê. Logo após, dirigiu o infantil ‘No Reino do Encantamento’, com a Companhia de Teatro da Fundação Pedro Paes Mendonça, sua primeira atuação como diretora em espetáculos infantis.

Depois vieram os espetáculos, ‘Andantes’ (2002), da Companhia Usina de Teatro, ‘Decadência’ (2005), da Companhia de Teatro Rota, ‘Sete noivas para sete irmãos’ ( 2003), da Companhia de Teatro da Fundação Pedro Paes Mendonça e a ‘Paixão de Cristo’, do povoado Serra do Machado em Ribeirópolis, durante 7 anos. Mais recentemente, ‘Saltimbancos’ (2008), ‘O Mágico de Oz’ (2009), ‘O caminho para Eldorado’ (2010), ‘Arlequim, Servidor de dois amos’(2010) e o ‘Corcunda de Notre Dame’(2011).

Deixe uma resposta